quinta-feira, 12 de março de 2009

Mulheres, máquina de lavar, pílulas e ...sutiãs queimados!

Olá queridos, que a paz de Jesus Cristo esteja com todos!!!
Semana bem agitada nas terras tupiniquins, tem muito material para blogs, reportagens, programas de tv e afins. Ah, e Ronaldo voltou a jogar e marcar gols, ainda bem, tô cansada de todos os dias ver nos notíciarios de esporte sobre a vida pessoal dele, nada contra, mas quero saber é de futebol arte e não das baladas, travestis, puladas de cerca e coisas que ele anda aprontando. Sim, sou uma mulher sensível, feminina, determinada e que gosta de futebol!
Ok, depois falo mais disso.
Um fato em especial chamou minha atenção, fez eu refletir por algum tempo e por isso compartilho isso com vcs. Essa semana, em plena comemoração do dia das mulheres, o Vaticano publica artigo no jornal L'osservatore Romano com o seguinte título: " A máquina de lavar e a liberação da mulheres...Ponha detergente, feche a tampa e relaxe". Até achei o título do artigo bem espirituoso.
Bem, o artigo traz a seguinte indagação: O que no século XX fez mais para liberar as mulheres ocidentais? (Minhas conjecturas, levando o texto em consideração) O que será...Será que foi a pílula anticoncepcional? Nããão! O direito ao aborto? Nãão! O acesso ao mercado de trabalho? Também nããão! Hum,...A máquina de lavar? (silêncio sepulcral)...Bingo!
Sim, sim, sim, a máquina de lavar foi (e continua sendo) um instrumento revolucionário, símbolo máximo da emancipação feminina no século XX. O inventor merece uma medalha. Depois dessa olho a máquina de lavar da minha casa com outros olhos, até tô pensando em construir um altarzinho para ela. (Acho que nem precisa tanto né?).
Bueno, brincadeiras e ironias a parte, nada mais me espanta em relação a Igreja Católica. Desde a semana passada um caso abalou a sociedade brasileira. Uma menina de 9 anos, grávida de gêmeos (devido a um estupro cometido pelo padrasto) conseguiu autorização judicial para o procedimento de aborto, não só pela violência, mas a garota correria um grande risco em levar a gestação adiante, pois não tinha estrutura física (1.33 de altura, 40 kg) para suportar a gestação.
A legislação brasileira concede essa autorização apenas para gestações advindas de violência sexual ou quando representa risco de morte para a mãe. Bem, o caso se enquadra nas duas situações. A gravidez foi interrompida. O cara que cometeu essa monstruosidade (o estupro) tá no xilindró. A mãe e o médico que fez o aborto foram excomungados. Sim, excomungados!
E o criminoso? Bem, ele não foi excomungado pq abortar é pior que estuprar!
Voltando a máquina de lavar, como eu disse nenhuma atitude da Igreja me espanta mais, depois dessa, é fichinha a história da máquina de lavar. Na minha opinião, é um absurdo reduzir as conquistas femininas a um eletrodoméstico, e pior, dizer que isso foi a libertação...Que liberdade é essa de que estão falando? Colocar roupas, detergente, fechar a tampa e relaxar tomando um capuccino com as amigas? Na realidade brasileira não é isso que acontece, pois quando coloca-se a roupa para "bater"a mulher se ocupa com outras funções domésticas, como limpar a casa, fazer o almoço e por aí vai..Onde foi parar essa tal liberdade?
Não nego a praticidade dos eletrodomésticos, facilitam muita coisa, mas o fato de a mulher colaborar mais ativamente na construção e manutenção da sociedade é sim a grande emancipação feminina. Abre-se um parêntese aqui. Não estou dizendo que a mulher tenha que ficar em uma eterna competição com o sexo oposto, não, não é isso, mas a mulher todos os dias tem que conquistar seu espaço com delicadeza, feminilidade, inteligencia e outros atributos mais. Fecha parêntesi.
E a pílula anticoncepcional? Achei legal planejar quando quer e quando não quer conceber.
E o aborto? Sou contra.
E o acesso ao mercado de trabalho? Grande conquista, mas sem perder a ternura.
E a máquina de lavar? Legal, prática, não tenho nada contra, sou usuária habitué.
E queimar sutiãns em praça pública? Jamais, eu não teria coragem de jogar um Victoria Secrets em meio às labaredas...Podem me chamar de fútil, mas não é assim que vou provar o meu valor!

Para terminar, deixo aí um trecho de uma música da Maria Betânia, que na minha opinião exprime bem a alma feminina:

"Eu gosto de ser mulher
Que mostra mais o que sente
O lado quente do ser
Que canta mais docemente".

Uma semana abençoada a todos!!!!

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir